Camaro SS

Texto: Arnaldo Keller

Não estava nada programado. Apenas passei na casa do primo Paulo para darmos umas voltas e ver uns carros. Era sábado pela manhã e o que mais nos interessava era darmos uma volta juntos, bater um papo. Chegamos à loja Só Veículos, que fica na Av. Europa, 851, e de cara quase caímos de costas quando lá vimos o único Ferrari 458 Italia da América do Sul. Ali ele chegou antes do importador oficial conseguir trazer o seu.

Camaro SS

Camaro SS

 

A conversa ali era a seguinte: como é que a Ferrari conseguiu deixar o modelo ainda mais bonito? E é bonito e funcional. Não há nada ali que não seja funcional. O 458 é um exemplo de união da arte com a tecnologia. Essa conjunção resulta numa coisa que não pode ser chamada somente de obra de arte, nem somente de máquina. Não sei bem o que é aquilo, mas sei que tem o poder de nos deixar extasiados.

Parece que em breve vou dar uma guiada nele.

Da enorme variedade de carros que há na loja, alguns Corvette, uns dez Ferrari, mais outros tantos Porsche etc, etc, eu estava mais interessado no novo Camaro. Acho que ele representa muita coisa na reedição da antiga briga entre os pony cars: Mustang x Camaro x Challenger. Briga boa. Fora os modelos “potentes mas nem tanto”, todos oferecem opções de motor V-8 com mais de 400 cv e 50 kgf.m de torque. Cabem 4 pessoas, apesar de os de trás sofrerem um pequeno aperto, e numa cidade normal os podemos usar no dia a dia. Um dia a dia gostoso, por termos à disposição enorme energia contida.

Você lembra do seriado de TV Fury? Aquele do garanhão selvagem das pradarias? Pois é. O garboso Fury é o Corvette ou o Viper, e esses pony cars pra mim representam aquele fiel cavalo do fazendeiro, aquele cavalo calmo, obediente, confiável, que, apesar de não ser tão lindamente impressionante quanto o Fury, é o cavalo que mesmo levando sela e um o fazendeirão no lombo consegue emparelhar com o Fury para que o lacem. Manja? Na hora do vamos ver era ele quem, modestamente, resolvia a parada.

Camaro SS
Camaro SS

Eu já guiara um Mustang Bullit de 315 cv e um Challenger de 425 cv. Ambos muito bons, cujos únicos senões, pra mim, são o ainda pesado eixo rígido na suspensão traseira do Mustang, um sistema que deixa a desejar, já que a traseira quica quando aceleramos ou curvamos num piso irregular, e os excessivos tamanho e peso do Challenger, apesar deste ter uma suspensão primorosa (traseira independente multibraço).

Camaro SS
Camaro SS

O Camaro SS que guiamos une as qualidades dos concorrentes e não apresenta os “defeitos”. Ele é compacto e leve como o Mustang, e tem a suspensão ótima como o Challenger. Sua traseira também é independente, daí que ele traciona muito bem e está sempre com ela grudadinha no chão. Ele nos inspira muita confiança. Muito obediente e rápido. O modelo SS tem a suspensão mais firme que os modelos V-6, menos potentes. Firme, mas, confortável, no ponto.

Ergonomia perfeita. Logo achamos posição ótima de guiar. Volante vai e vem, sobe e desce. Volante no peso certo, nem pesado nem leve, e com resposta certa, nem rápido nem lento demais. Sistema de cremalheira e pinhão. Perfeito. Pedal do freio também. Nada de toca-estanca. O primo Paulo, acostumado com o pedal do seu Corolla, que toca-estanca, ao guiar o Camaro, estranhou, achando-o pesado. Mas esse é o jeito certo, o jeito em que podemos dosar corretamente a freada numa emergência, ou mesmo numa pilotada mais forte e precisa. O câmbio do que experimentamos é automático de seis marchas, com posição também para manual, ou seja, opção de usar as borboletas atrás do volante. As borboletas estão no próprio volante, ou seja, viram junto com ele. Não são do tipo fixadas à coluna, como nos Ferrari. Prefiro esse último jeito, porque assim sempre sabemos onde as borboletas estão. Quando elas são das que viram junto com o volante, é fácil a gente não as achar ao curvarmos.

Há também o câmbio manual – meu preferido, com a boa e velha alavanca – de seis marchas.

O motor é um canhão, mas consegue ser suave e dócil quando tratado da mesma maneira. O pedal do acelerador tem o peso certo, ou seja, não é leve demais, deixando que nele apoiemos o pé. O início do seu curso é calmo, o que permite que o aceleremos progressivamente, sem reações estúpidas, coisa comum em carrinhos fracotes de 4-cil que temos por aqui – carrinhos estupidinhos, que ao primeiro toque ameaçam andar forte, mas depois não andam nada. No Camaro SS é diferente: no início é calmo, e apertado mais fundo, um monstro. Assim é que é bom. É um fortão gentil.

O motor do SS é o mesmo do Corvette, de 6,2-litros, só que tem a taxa de compressão um pouquinho mais baixa, de 10,4:1, sendo que no Corvette é de 10,7:1, daí a pequena diferença de potência: 422 hp e 426 hp. (428 cv e 432 cv, respectivamente)  O torque é brutal: 57,4 kgf.m.

Estava chovendo, daí deixamos o controle de tração ligado, para não fazermos besteira. Não gosto muito que me controlem, mas o controle do Camaro SS é bem liberal, só interferindo exatamente no momento em que se vai aliviar a aceleração. Então, nada chato, já que ele e eu concordamos sobre o momento de agir. Com chão seco, e conhecendo melhor as reações do carro, tudo bem desligá-lo. Mas não era um teste que fazíamos, era só uma voltinha. Além do mais, estávamos em via pública e ainda nos resta alguma responsabilidade e inteligência.

Resumindo: é fácil se apaixonar por algo que acreditamos perfeito, que se encaixa nos nossos padrões do ideal. Não vi nem senti nenhum defeito, nada que me desagradasse, e me pareceu que precisaria de bastante tempo para achar algo fora do certo. A primeira impressão de teto baixo, que sentimos na primeira sentada ao volante, logo passa. Quem disser que sente isso é porque ainda não guiou o carro. O Camaro SS que guiamos está com rodas aro 22 e os pneus têm perfil muito baixo (265/35 R22 e 295/30 R22). Não são os originais, que são 245/45R20 e 275/40R20. São rodas bonitas e tal, mas tenho certeza que amassam no primeiro buraco ou tartaruga que pegarem pela frente, além de darem mais aspereza que o planejado pelos competentíssimos engenheiros da GM.

Esse carro é pra dar nossos parabéns à GM. Esse é um que precisava ser feito.

Foi só um passeio dentro de São Paulo numa manhã de sábado chuvosa, daí que não é pra ficar aqui contando muito. Veja os filminhos e nos acompanhe um pouco.

Sobre soveiculos

Com mais de 1.500m² de espaço, o nosso showroom é uma boa amostra do que de melhor faz a indústria automobilística mundial, num festival de marcas consagradas e exclusivas. O estoque no local gira entre 120 e 150 carros. Certamente você encontrará o modelo dos seus sonhos. Ou vários deles...
Esse post foi publicado em Chevrolet, Lançamentos. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s